Você sabia que antigamente se receitava “vinhos tônicos” como suplementos?

Vinhos tônicos: Sentindo-se letárgico e precisando de um estímulo? Há um tipo de vinho para isso. Ou, pelo menos, havia. No mundo de língua inglesa, há uma longa tradição de colocar “vinhos tônicos” para dar um pequeno impulso aos bebedores.

Esses chamados vinhos tônicos alegavam oferecer benefícios à saúde e rejuvenescer os bebedores, seja graças à adição de ingredientes especiais, seja devido às propriedades naturais das uvas como resultado de seu terroir. Esses vinhos eram populares na Grã-Bretanha até a segunda metade do século 20, quando suas alegações médicas não resistiram mais.

As pessoas prescrevem e usam vinhos como medicamentos há milhares de anos, mas com os avanços nos métodos científicos ao longo dos séculos 18 e 19, médicos e comerciantes de vinho tornaram-se mais precisos na forma como descreviam suas respectivas ofertas. Por exemplo, na década de 1860, um médico britânico chamado Robert Druitt publicou um livro prescrevendo vinhos específicos para diferentes doenças. Ele achava que os vinhos leves de Bordeaux eram especialmente bons “para crianças e para todos aqueles cujas ocupações são realizadas principalmente em ambientes fechados e que sobrecarregam mais o cérebro do que os músculos”. É seguro dizer que os trabalhadores de escritório de hoje e os escritores freelance provavelmente concordariam com ele.

VINHO TÔNICO, SEU MULTIVITAMÍNICO DIÁRIO

Muito antes de os cientistas notarem as propriedades potenciais de redução do colesterol do vinho tinto, a bebida era apreciada como uma suposta fonte de vitaminas e minerais; No século 18, a Marinha britânica abastecia seus navios com vinho tinto para longas viagens com a crença de que frutas e legumes evitavam o escorbuto. Agora entendemos que a vitamina C previne o escorbuto, mas o vinho tinto não retém a vitamina C encontrada nas uvas frescas.

Da mesma forma, da década de 1920 até a década de 1950, um dos maiores importadores de vinho australiano para a Grã-Bretanha anunciou seu vinho tinto como um “tônico natural” porque suas uvas eram cultivadas em “solo ferruginoso”. Não há evidências de que solo rico em ferro resulte em vinho rico em ferro, mas a descoberta de vitaminas e a popularização da ciência da nutrição na década de 1920 tornaram esse um ângulo de propaganda da moda. Na década de 1950, alguns importadores de vinho temiam que essa estratégia de publicidade tivesse saído pela culatra e que os vinhos australianos fossem associados na Grã-Bretanha a velhinhas anêmicas.

vinhos tônicos

VINHO TÔNICO NA GRÃ-BRETANHA

Na Grã-Bretanha do século 19 e início do século 20, “vinhos De carne” – geralmente vinhos do Porto rubi enriquecidos com carne, fermento e extratos de malte – eram anunciados para adultos e crianças convalescentes. Análise do British Medical Journal descobriram que a maioria dos vinhos de carne tinha cerca de 20% de teor alcoólico. Uma dosagem típica era de três copos pequenos por dia para adultos e metade para crianças. Os vinhos de carne não eram produzidos em vinícolas genuínas, mas por fabricantes de condimentos britânicos que importavam vinhos para usar como base para suas misturas. Esses fabricantes incluíam a Colman’s de Norwich, famosa por sua forte mostarda inglesa, e a Bovril, que vendia um extrato de carne exclusivo e homônimo para fazer caldo restaurador. Surpreendentemente, não há evidências de que a indústria australiana tenha produzido um vinho tônico casando seus vinhos tintos fortes com seu amado Vegemite, o que certamente foi uma oportunidade perdida de criar um mercado vegano para vinhos tônicos com mais umami.

A CULPA É DO BUCKY

Muito antes do Espresso Martini, e mais simples do que misturar rum e coca, os vinhos de coca eram outro tônico do século XIX que pretendia oferecer um impulso imediato e poderoso. Feitos com vinho tinto fortificado e extrato de folha de coca, esses vinhos ofereciam álcool, cafeína e cocaína em um único gole doce. O vinho de coca saiu de moda no século 20, quando os consumidores ficaram mais alarmados com os efeitos de beber cocaína, mas seu legado continua vivo na Coca-Cola, que contém cafeína da folha de coca, sem cocaína.

A maioria desses vinhos tônicos cessou a produção em meados do século 20, quando a ciência nutricional e a rotulagem de alimentos alcançaram as alegações espúrias dos produtores de vinho tônico. No entanto, um vinho tônico improvável continua popular na Grã-Bretanha: Buckfast. Criado por monges beneditinos reais em uma abadia no sudoeste da Inglaterra na década de 1880, Buckfast é um vinho tinto fortificado com adição de cafeína (e uma lista secreta de outros aromas). Inicialmente uma pequena produção artesanal, agora vê vendas acima de US $ 60 milhões por ano e é super popular na Escócia e na Irlanda.

vinhos tônicos

O Buckfast Tonic Wine agora traz um aviso de que não oferece nenhum benefício à saúde, e sua percepção popular é exatamente o oposto de saudável. Relativamente barato, carregado de cafeína e com perfil de sabor xaroposo, o vinho provou ser uma combinação atraente para adolescentes que procuram problemas. Na verdade, Buckfast tem sido associado a muito comportamento anti-social e violência. A garrafa vazia foi reutilizada como arma, e “a culpa é do Bucky” é uma desculpa comum nas prisões na Escócia.

É uma trajetória incomum para uma bebida, de pacientes anêmicos a roqueiros punk, mas é justo supor que poucas pessoas bebiam vinhos tônicos apenas porque apreciavam o sabor. Os vinhos tônicos foram vendidos nas farmácias britânicas durante a década de 1950 porque eram considerados medicinais – não porque tinham gosto de xarope para tosse, embora provavelmente tivessem. Eles são difíceis de encontrar hoje, mas isso provavelmente não é uma grande perda para o bebedor moderno.

Deisi Remus
Um sagitariana legítima e louca por gatos. Formada em Moda e adora escrever sobre as principais tendências e lançamentos de beleza. Saiu de Porto Alegre para encarar novos desafios em São Paulo.
Post criado 68

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo