Sertão brasileiro se torna uma das regiões vinícolas mais importantes do país!

Quem diria que no sertão brasileiro, em meio à caatinga, existiria uma bela região para a produção de vinhos?

Mas foi isso que aconteceu, mais precisamente na região do Vale do São Francisco. As principais vinícolas estão instaladas nos municípios pernambucanos de Petrolina, Lagoa Grande e Santa Maria da Boa Vista, e no de Casa Nova, na Bahia.

A vinicultura pernambucana e baiana já detém 15% do mercado nacional, é responsável por 99% da uva de mesa exportada pelo Brasil e a produção de mais de 5 milhões de litros de vinho por ano.

A região teve seu início no universo dos vinhos na década de 80, com investimentos nacionais e estrangeiros, como, por exemplo, a Fazenda Ouro Verde (controlada pela Miolo Wine Group) e a Global Wines  (grupo português), responsáveis pela elaboração de vinhos finos.

De lá pra cá foi atraindo mais investidores e novos empresários que resolveram usar desse clima e solo único para a produção de vinhos.

A região tem cerca de 800 hectares de vinhedos e produz mais de 25 tipos de uvas. As principais uvas tintas são Syrah e Cabernet Sauvignon e as brancas Moscatel, Chardonnay, Sauvignon Blanc, Silvaner e Moscato.

Assim como no sul do país (Vale dos Vinhedos), o nordeste também está fazendo sucesso com seus espumantes, com destaque para os moscatéis.

Principais Vinícolas

Vinícola Miolo, Vinícola Rio Sol, Vinícola Garziera, Vinícola Bianchetti, Vinícola do Vale do São Francisco – Botticelli e Vinícola Duccos.

Você já provou algum vinho da região do Vale do São Francisco?

euamovinho
Um blog dedicado a todos que amam vinho! Se você se interessa por essa bebida sagrada, acompanhe sempre.
Post criado 239

2 comentários em “Sertão brasileiro se torna uma das regiões vinícolas mais importantes do país!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo