Barris de carvalho e sua influência no vinho

Quando a palavra “vinho” é pronunciada, uma das primeiras coisas que vem à mente para a maioria das pessoas é a garrafa de 750ml. Outros podem notar instantaneamente a imagem de um cacho de uvas pipocando em suas cabeças, ou talvez um vasto vinhedo extenso. Outros ainda, no entanto, se verão visualizando uma sala cheia de barris de carvalho. Isso é verdade mesmo para aqueles que não entendem muito bem o que os barris realmente fazem, o que pode ser confuso no início. Dito isto, o “efeito barril” pode mudar completamente um vinho, por vezes transformando-o em algo completamente mágico.

Se você já visitou uma vinícola, os barris de carvalho que você provavelmente notou não estão lá apenas para mostrar. Aqui está uma visão geral dos fundamentos de como os barris de carvalho afetam o vinho, que você pode usar para ampliar sua compreensão do mundo do vinho.

Carvalho = Melhoria do Sabor

Seria uma afirmação abrangente dizer que o vinho em carvalho é sempre melhor do que o vinho não envelhecido. Na verdade, existem inúmeros exemplos de belos vinhos em todo o mundo que nunca viram carvalho durante sua vida útil. Dê uma olhada nos vinhos mais caros do mundo e você, sem dúvidas, verá que todos eles foram produzidos através do envelhecimento em carvalho. O carvalho pode afetar muito o vinho, muitas vezes aumentando seu sabor em um grau acentuado e servindo como o componente mais importante do produto uma vez engarrafado.

Como era de se esperar, nem todos os barris de carvalho são criados iguais. Alguns são muito grandes ou muito pequenos, afetando a área de superfície e o contato com o suco e alterando o quão profundamente o vinho é influenciado pelo carvalho. Alguns barris apresentam grãos grandes, que podem influenciar o vinho em graus semelhantes. Outros barris são mais antigos ou foram reutilizados e podem não ter tanto a emprestar ao vinho. No final, o tipo de barril utilizado terá um papel fundamental na forma como o vinho amadurece e muda com o tempo.

Tipos de barris de carvalho

Ao escolher quais barris de carvalho utilizar na produção, os vinicultores normalmente têm três opções: carvalho francês, carvalho americano e carvalho húngaro / europeu oriental. Sem dúvida, o carvalho francês é a opção mais popular disponível para os vinicultores modernos. O carvalho francês de certas florestas é valorizado por seu grão fino, e os barris produzidos em áreas como Alliers, Vosges e Tronçais podem ser vendidos por mais de US $ 4.000 cada.

  • Carvalho francês: Uma das razões pelas quais o carvalho francês é tão valorizado para o envelhecimento de vinhos premium é porque ele é capaz de adicionar compostos aromáticos ao vinho de uma maneira muito sutil, ao contrário de muitos outros tipos de carvalho. Uvas como Chardonnay, por exemplo, podem ser dominadas por certos tipos de carvalho e, portanto, são perfeitamente adequadas para envelhecimento em barris de carvalho francês.
  • Carvalho americano: A próxima forma mais popular de carvalho para envelhecimento em barril é o carvalho americano. O carvalho americano apresenta um grão maior do que a maioria dos exemplos de carvalho francês e, portanto, dá um perfil de sabor muito mais robusto. Sabores como coco e baunilha tornam-se imediatamente conhecidos, e é por isso que uvas mais ousadas como Cabernet Sauvignon se adaptam tão bem ao carvalho americano.
  • Carvalho da Europa Oriental / Húngara: O terceiro tipo de madeira mais comumente usado para barris de vinho é o carvalho húngaro / europeu oriental. O carvalho húngaro está ganhando popularidade por um motivo principal: ele apresenta as nuances do carvalho francês sem o alto preço. Os vinicultores iniciantes adoram trabalhar com carvalho húngaro por esse motivo, e uvas como a Malbec e a Syrah se dão muito bem nesses tipos de barris. Na maioria dos casos, o perfil de sabor adicionado aos vinhos pelo carvalho húngaro terá um caráter de nozes, embora toques de baunilha e creme fresco não sejam incomuns.

O que um barril adiciona ao vinho

Embora colocar o vinho em barris possa ter se originado como um método de armazenamento, rapidamente ficou claro que o carvalho acrescenta muito a qualquer vinho que toque. Como afirmado acima, um dos principais componentes que o carvalho pode adicionar a um vinho é o sabor, que pode depender muito do tipo de carvalho e de sua estrutura de grãos. Outro elemento que deve ser considerado, porém, é a adição de taninos. Os barris de carvalho lixiviam os taninos para o vinho que vive dentro deles, e quanto mais longo for o período de tempo de contato, mais proeminente será a natureza tânica do vinho. É por isso que muitos produtores de vinho envelhecem vinhos leves em taninos nos barris mais taninos que podem encontrar, de forma a reforçar a sua estrutura.

Outro elemento que o carvalho pode adicionar a um vinho é a fumaça. Alguns exemplos de barris de carvalho são carbonizados ou “tostados” antes de serem usados para o envelhecimento, o que pode emprestar sabores de caramelo e fumaça ao vinho que de outra forma não estariam presentes. Como era de se esperar, os vinhos que envelhecem em carvalho carbonizado por longos períodos de tempo podem acabar se tornando quase muito defumados, e é aí que entra o delicado equilíbrio necessário para a produção de vinhos de qualidade.

Agora você já sabe um pouco sobre como os barris de carvalho influenciam em um vinho!

Deisi Remus
Um sagitariana legítima e louca por gatos. Formada em Moda e adora escrever sobre as principais tendências e lançamentos de beleza. Saiu de Porto Alegre para encarar novos desafios em São Paulo.
Post criado 39

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo